Os anos passam e os velhos problemas continuam na UEM

Publicado: 05/12/2012 em Carreira Técnico Universitária, Meio ambiente, Políticas de assistência estudantil, Preconceitos, Temas para discussão e reflexões

por Ailton Souza dos Santos

MAIS UMA VEZ desde 2007 vamos falar dos problemas do RU. Problemas que veem de cima para baixo, da gestão da UEM, da pró-reitoria, da diretoria e da chefia do RU.

Pois mais uma vez faltam com o respeito aos servidores, pois o RU irá fechar a partir do dia 10 até o dia 21/12. Desconsideram centenas de servidores dentre os milhares que utilizam o Restaurante Universitário  estarão trabalhando até o dia 21/12.

Mais uma vez tratam o RU como se fosse para estudantes seguindo o calendário acadêmico e não o calendário de trabalho da UEM.

Mais uma vez desrespeitam a resolução que regulamenta o funcionamento do RU, que diz que o RU é para atendimento a comunidade acadêmica, lembrando que a comunidade acadêmica é composta por servidores técnicos, docentes e acadêmicos. Não podemos privilegiar um segmento em detrimento de outro, só porque é a maioria dos usuários, se assim for que a Resolução passe nos conselhos para nova redação. Sinto-me um fantoche no COU onde resoluções são aprovadas e não são seguidas em suas letras, usam da forma que acham melhor, os chefes, diretores e pró-reitores se acham acima do COU. Ficamos tardes e tardes inteiras discutindo regulamentos para serem aprovados e depois não respeitados?

Gostaria de saber o que a nossa diretora do DCT tem a dizer sobre o assunto, ela que foi diretora de sindicato e agora serve a atual gestão UEM como se fosse governo, indo e vindo contra os anseios da categoria, será que é porque não usa o RU ou porque está pensando somente no rendimento de sua função gratificada. Diretora, inclusive,  e pró-reitora e vice de RH citadas em abaixo assinado, com mais de mil assinaturas de servidores solicitando as vossas saídas, será que essas pessoas, mais de mil, estão erradas? A quem servem essas pessoas de FG –  ao governo que  aos poucos vai nos definhando, com cortes na carreira e terceirizações de serviços, esqueceram que são servidoras e que um dia voltarão para seus cargos de origem?

Mais uma vez, ficaremos sem refeição no período após o recesso até o início das aulas, desde 2007, um grupo de servidores solicitou subsídio da UEM para alimentação nesse período, desde 2007 aguardamos resposta da PJU se isso seria possível ou não. No ano que vem deveremos nos deparar com um problema maior ainda, uma reforma da cozinha do RU, que está em fase de licitação. O RU deverá ficar fechado por praticamente um ano, afetando toda a comunidade acadêmica, esperamos que os acadêmicos, após serem atingidos entrem nessa luta juntamente com os servidores, pois as reivindicações são convergentes.

Queremos saber as justificativas para essa reforma antes que se faça outro RU, a comunidade acadêmica não pode ficar um ano sem refeição.  A chefia do RU já foi representante no COU e no CAD dos servidores técnicos da UEM, o que acontece com essas pessoas quando assumem cargos de chefias??? Esquece-se de suas raízes, da categoria que os elegeu ???

Se tudo isso não bastasse ainda temos que conviver com a truculência do prefeito de Maringá, que diz que não aceitará “argumentações ridículas” dos conselheiros da UEM sobre a transposição viária através da universidade, quer nos fazer engolir o túnel sem discussão nos conselhos, indo buscar recursos no governo federal  para depois provavelmente pressionar que aprovemos tal medida, colocando assim também a população contra os conselhos para fazer sua vontade, que a meu ver pode ser “ridícula”.

Mais uma vez . . . , acrescente mais problemas que você vê na UEM que é de todos nós . . .

Anúncios
comentários
  1. Marcio Cardoso disse:

    Acho que o autor esqueceu do caso dos servidores que ocupam cargos de nivel superior sem terem feito concurso público, ao contrário, foram empossados por meio de resoluções e de compadrios. Ainda não houve reitor com coragem suficiente para cumprir uma determinação judicial que foi publicada em 2009 e depois em outubro de 2012. Esses servidores realizam tarefas de técnicos de nivel médio, fizeram concurso para o cargo de nivel médio e hoje, de forma inconstitucional, recebem salários mais altos que professores doutores com tide, apenas possuindo 2 especializações. Isso continua na mesma…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s