AUTONOMIA UNIVERSITÁRIA: POR UMA EDUCAÇÃO PARA A VIDA

Publicado: 25/01/2013 em Políticas de assistência estudantil, Segurança no Campus Sede, Temas para discussão e reflexões

Sabemos a imensa importância que a Educação possui na vida de um indivíduo, pois, historicamente, ela é que faz o homem estanhar, criar, conhecer e descobrir o mundo. Ela é intrínseca ao ser humano; ela provém da consciência humana voltada à construção e transformação da realidade. A Educação é o conhecimento que emerge do cotidiano, das relações sociais, dos anseios da sociedade civil. Educação, em suma, desenvolve a inteligência, o caráter, a personalidade, o autodomínio e autodisciplina do indivíduo, sendo absolutamente necessária para a compreensão da vida.

Educação, certamente, está longe de ser apenas um meio disciplinador, pautado num regime autoritário que busca a transformação do indivíduo em um robô mental. Esse interesse que se resume em manipulação é plenamente do Estado que busca, através da coerção (leis e armas), o controle da massa social, para fazer do homem um mero animal produtivo que reproduz as determinações da ordem capitalista. O Estado, procurando satisfazer suas necessidades elementares, desatende à vida humana, precariza e desestrutura a Educação, conduzindo a sociedade para uma drástica crise histórica.

Para combater esse impasse que provém das contradições do Estado é preciso a participação e integração consciente de toda a sociedade, em especial, estudantes, docentes e técnicos, em parceria direta com órgãos e entidades, como sindicatos, que possam contribuir para o resgate da Educação enquanto humana(para a vida). Uma união social, ou melhor, uma luta coletiva que almeje a Autonomia para a Educação, evitando, ou eliminando, dentro das possibilidades e conquistas,as amarras que o Estado estabelece, principalmente, para as Universidades Públicas.

Nesse sentido, percebemos a urgente necessidade de desenvolver uma luta consciente e coletiva a favor da Autonomia Universitária, tendo em vista que a precarização da Educação em defesa do Capital só tende a aumentar. E a luta por essa Autonomia, com certeza, é muito mais ampla que uma autonomia financeira e administrativa, pois ela diz respeito ao futuro da Universidade, do planejamento aberto, com missão de melhorar ilimitadamente a vida humana. Uma Autonomia que consista no autodomínio, no comprometimento e na responsabilidade constante e concreta perante a Educação Pública, Gratuita e de Qualidade.

 

Pedro F. Barbosa (Acadêmico de Ciências Sociais – UEM; Membro do Movimento em Defesa da Educação para além do Capital (MEK). Maringá-PR, 19/12/2012.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s